João Brasil, as batidas tropicais e a dominação do mundo

O DJ, produtor e “mash-upeiro” carioca João Brasil, tem um dos mais divertidos, modernos e criativos repertórios dos djs brasileiros da atualidade, flertando com o eletrônico e o popular (leia popular e pense em algo bem povão). João traz pras pistas e para suas produções misturas e sonoridades que ao mesmo tempo metem arrepios aos intelectuais de ocasião, estampam sorrisos libidinosos aos apreciadores de boa música, principalmente os despidos de preconceitos.

Caroline G (Obra de arte/ MAM - Bob N)

O Mash up, é uma nova categoria do remix (nova em termos, há cerca de 5 anos esta em atividade no underground sonoro do mundo) que diferente da pura e simples versão com beats e tunts que uma música com sonoridade mais acústica recebia, esta tendencia propõe a mistura de 2 ou mais músicas que não tenham nenhuma relação criando assim uma nova música, normalmente um frankstein com braços do Michael Jackson, pernas da Ivete Sangalo e cabeça dinossauro do Reginaldo Rossi por exemplo. O João Brasil desafiou a humanidade em seu blog (365mashups.wordpress.com) apresentando diariamente algo novo, intrigante e desafiador, isso quando não é apenas tosco e engraçado.

A mídia internacional especializada coloca os djs e produtores brasileiros como os melhores “mash-upeiros” do mundo com destaque especial Brutal Redneck e Lucio K, este ultimo baiano radicado no Rio e que está presente nos sets de 8 em cada 10 djs que tocam bons mash ups.(Lucio K Som Sistema)

João Brasil é um dos entusiastas do Tecnobrega, ele discoteca musicas de djs e produtores paraenses que ele acha geniais como Waldo Squash, David Sampler e da dupla Maderito e joe. “Conheci o tecnobrega e o melody há cerca de 5 ano através do Kassin, desde essa época ouço, pesquiso e baixo muita coisa na internet, principalmente da galera do Eletromelody, Gang do eletro, joe benassi… Quando toco aqui na Europa pra públicos digamos assim “Virgens” em relação ao estilo e a essa sonoridade do tecnobrega percebo uma resposta muito mais interessada e positiva que por exemplo ao funk carioca” confessa empolgado.

I Hate Flash

Ao Lado de Chico Dub, Brasil tem a Festa Dancing Cheetah co-irmã do Baile Tropical,
que acontece no Rio de Janeiro na Casa da Matriz, a Festa é voltada pra o Global
Gethoteck, tropical bass entre outras ritmos do chamado World Music 2.0

João Brasil lança no segundo semestre de 2010 pelo selo alemão Man Records do também dj e produtor Daniel Haaksman, um disco de tecnobrega, que tem o nome provisório de “Tropical”. Segundo João a resposta positiva do público por onde passou reforçou essa opção de ser um disco mais voltado ao ritmo paraense. Agora é só aguardar a repercussão e a abertura do mercado para djs e produtores de Belém conseguirem seu espaço no mercado internacional.

JOÃO BRASIL  toca em Belém dia 8.7 na MEACHUTA.
BAILE TROPICAL#3- Uberlandia @ Goma 9.7
BAILE TROPICAL#4- Brasilia @ Calaf 12.7

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: